O objetivo é apresentar o projeto a órgãos governamentais e futuros parceiros para fomentar o empreendedorismo e a geração de emprego e renda

Autor da iniciativa que trouxe para o DF um dos quatro projetos do Centro de Desenvolvimento Regional existentes no Brasil, o senador Izalci Lucas (PSDB), se reuniu, nesta quinta-feira (21), com o deputado Vítor Lippi (PSDB-SP), representantes do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e do Centro de Desenvolvimento Regional (CDR) do Distrito Federal para debater estratégias e ampliar a atuação dos CDRs pelo país.

O encontro teve como objetivo planejar os passos para estabelecer e consolidar parcerias estratégicas com instituições governamentais, agências de financiamento e desenvolvimento, representações do setor produtivo e as instituições de educação superior.

Os parlamentares apresentarão ao governo federal e a outras organizações ligadas à Administração Pública o projeto dos CDRs. A proposta visa ainda fomentar o empreendedorismo e promover o uso intensivo da competência técnico-científica instalada nos territórios como ferramenta para a geração de emprego e renda.

Segundo Izalci, o projeto dos CDRs é um importante instrumento para ajudar o Brasil a retomar o crescimento. “Além de apresentar a proposta dos CDRs ao governo, nós queremos que o projeto se torne uma política pública para todo o país. O Brasil tem que voltar a crescer. Fazer com que o setor produtivo e o meio acadêmico trabalhem juntos trará ótimos resultados para a nossa economia”, salientou o senador.

As reuniões de planejamento e de coordenação das atividades no nível nacional estão ocorrendo semanalmente.

 

Projeto dos CDRs

Os Centros de Desenvolvimento Regional foram criados com a finalidade de promover a articulação entre órgãos governamentais, instituições de ensino superior, setor produtivo e empresários visando o desenvolvimento econômico regional.

O projeto-piloto dos CDRs estão sendo desenvolvidos em quatro regiões diferentes do Brasil: Brasília, Campina Grande (PB), Bagé (RS) e Itapeva (SP). O projeto é desenvolvido pelo Ministério da Educação, em parceria com o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e o Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados (Cedes).