No dia em que se comemora o Dia Mundial da Água, 22 de março, o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) falou sobre a sua importância, durante discurso no plenário, e chamou atenção para a necessidade de um manejo sustentável dos recursos hídricos do planeta.

“A carência de água limpa é um problema ainda mais grave do que o senso comum possa imaginar. No mundo, estima-se que mais de dois bilhões de pessoas sobrevivam sem água segura para o consumo”, afirmou o senador.

Izalci destacou ainda que um quarto das escolas primárias não contam com serviços de fornecimento de água, mais de 700 crianças morrem a cada dia por doenças provocadas pelo consumo de água contaminada, e cerca de 700 milhões de indivíduos podem ser obrigados a sair de suas residências em razão da ausência de uma fonte de água segura para o consumo.

E não para por aí, o senador lembrou ainda, que aproximadamente quatro bilhões de pessoas, ou seja, dois terços da população mundial, enfrentam problemas de escassez hídrica pelo menos um mês por ano.

“São dados alarmantes, e que evidenciam a gravidade do tema para a atual e futuras gerações. Além do consumo imprudente e do desperdício, o lixo, o esgoto e a poluição, são os principais problemas a serem enfrentados pelos gestores de nossos recursos hídricos” ressaltou.

 Amazônia Azul

Ainda em seu discurso, o senador Izalci lembrou que no Brasil, o parlamento e a Marinha têm voltado as atenções para a Amazônia Azul, uma extensa área marítima ligada ao território brasileiro, e que possui infindável número de recursos naturais e imensa biodiversidade.

Com tamanho equivalente ao da superfície da Floresta Amazônica, a Amazônia Azul também tem importante papel estratégico e econômico. Na região, circulam 95% do comércio exterior brasileiro.

“Nesse contexto, será criada a Frente Parlamentar da Amazônia Azul, um fórum de debates de temas relacionados a essa faixa de mar e que é um compromisso assumido por mim com a Marinha, para que possamos assegurar também a soberania nacional dessa região tão importante”, afirmou Izalci.

Desenvolvimento Sustentável

Em 2015, as Nações Unidas adotaram a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Instrumento que busca coordenar várias ações com o objetivo de resolver os mais urgentes desafios ambientais no nível global.

Entre os 17 objetivos a serem seguidos, encontra-se a meta de prover o acesso universal à água potável e ao saneamento básico até o final da próxima década.

“Uma meta ambiciosa, a bem da verdade, mas que aponta, ao menos, um caminho certo para seguir. E foi nesse entendimento que se decidiu o tema das ações decorrentes do dia mundial da água neste ano: ‘Não deixar ninguém para trás’, a água potável deve ser acessível a todos, sem qualquer distinção de gênero, raça, origem, religião ou idade”, defendeu o senador.

 Distrito Federal

Em 2018, o Distrito Federal e várias outras Unidades da Federação ainda se recuperavam de uma das mais graves crises de abastecimento hídrico até então testemunhadas.

“No país com maior abundância de água doce do planeta, não se pode conceber que situação semelhante venha a acontecer novamente. Aqui no cerrado, coração do Brasil, nascem os rios formadores das seis principais regiões hidrográficas brasileiras: Parnaíba, Paraná, Paraguai, Tocantins-Araguaia, São Francisco e Amazônica”, observou.

Para finalizar, Izalci chamou atenção dos formuladores de políticas públicas, os gestores, e pessoas que hoje detêm acesso à água potável para uma reflexão:

“Que possamos, efetivamente, refletir sobre a grave situação em que nos encontramos, e lutar por um manejo cada vez mais democrático e mais sustentável desse recurso tão essencial ao nosso desenvolvimento e à nossa sobrevivência”, concluiu.