O senador Izalci Lucas (PSDB/DF) se reuniu, nesta segunda-feira (22/04), com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para apresentação do projeto de criação dos Centros de Desenvolvimento Regional (CDRs) – núcleos para a elaboração de planos estratégicos de desenvolvimento social e econômico. O encontro teve  a presença do deputado federal Vitor Lippi (PSDB/SP), do representante do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Fábio Augusto Assunção, e do ex-secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Paulo Barone.

Na ocasião, Izalci explicou ao ministro como funcionam os CDRs, que têm como objetivo unir universidades, institutos de Pesquisa, os Ministérios do Desenvolvimento Regional, da Educação e de Ciência e Tecnologia, além da CAPES, CNPQ, governos locais e o setor produtivo, para identificar as necessidades de cada região, sinalizar as atividades econômicas com maior potencial de gerar emprego e renda, além de propor projetos para colocar essas necessidades em prática.

“Queremos transformar o conhecimento que existe nas universidades, nos institutos, em uma política pública nacional. É uma proposta que vai alavancar o desenvolvimento regional, unindo o conhecimento e os recursos locais, incentivando o crescimento econômico”, disse o senador.

Izalci lembrou ainda, que quatro projetos-piloto dos CDRs já foram lançados em quatro regiões do país: Brasília, Campina Grande (PB), Bagé (RS) e Itapeva (SP).

“Temos projetos que já dão resultados positivos e que vão desde a produção de mel, passando pela agricultura familiar, até a fabricação de móveis rústicos. Essas primeiras iniciativas servirão de modelo para a criação de outros CDrs no país”, argumentou o senador.

Após ouvir sobre o projeto, o ministro afirmou que a proposta está alinhada à missão do ministério e que é importante ter pessoas capacitadas em cada região do país. Segundo ele, não adianta investir sem ter feito um diagnóstico preciso das necessidades de cada região.

“Concordo plenamente com a utilização das universidades, pela capacidade de capitalização que têm, a presença maciça no território inteiro, além de pessoas qualificadas, já que os professores universitários são intelectualmente diferenciados, acostumados a estudar, e possuem capacidade de criação e absorção de conhecimento distinto”, afirmou Canuto. “Se esse potencial todo fosse aplicado para o desenvolvimento, seria uma ferramenta enorme para a gente saber o que fazer”, completou o ministro.

O representante do CGEE, Fábio Augusto Assunção, o ex-secretário de Educação Superior do MEC, Paulo Barone, senador Izalci, ministro Gustavo Canuto e o deputado federal, Vitor Lippi

Para dar continuidade ao assunto, ficou agendado para o dia 09 de maio um encontro para a construção de uma agenda de trabalho, com a presença do senador Izalci e outros integrantes da CDR, além de representantes do ministério e do CGEE.