O senador Izalci Lucas (PSDB/DF) participou, na quinta-feira (26/04), do V Congresso Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia da Universidade Paulista de Brasilia – UNIP, junto com a presidente do conselho regional do Distrito Federal- CREA/DF, Fátima Có. A convite do coordenador de engenharia da instituição, Luiz Soares, Izalci participou de um bate papo com os alunos: “É importante que os convidados, que ocupam cargos importantes, falem um pouco como podem contribuir com a comunidade acadêmica”, disse coordenador.

Senador conhece projeto de alunos de engenharia, ao lado do coordenador, Luiz Soares, e da presidente do CREA/DF, Fátima Có.

 

O senador falou da importância de se investir em projetos de educação que criem condições para que os estudantes possam receber bolsas de estudo em troca de um convênio com órgãos públicos. “Acho que vocês, universitários, podem contribuir muito, usando a capacidade intelectual e o aprendizado na elaboração de projetos que possam ajudar a região onde moram”, afirmou Izalci. “É importante incentivar os alunos com estágio remunerado, em troca de serviços para a sociedade”, completou.

 Izalci  explicou também o Projeto dos Centros de Desenvolvimento Regional (CDRs), que têm como objetivo unir universidades, institutos de Pesquisa, os ministérios do Desenvolvimento Regional, da Educação e de Ciência e Tecnologia, além da CAPES, CNPQ, governos locais e o setor produtivo, para identificar as necessidades de cada região e sinalizar as atividades econômicas com maior potencial de gerar emprego e renda.

“Já temos quatro projetos de CDRs, instalados em quatro regiões do país: Brasília, Campina Grande (PB), Bagé (RS) e Itapeva (SP). Avançamos muito e agora falta popularizar isso. Estou trabalhando para que esses Centros possam ser instalados em todo o Brasil”, comunicou Izalci.

O senador destacou ainda a importância da inovação e do conhecimento:

“Precisamos tirar as pesquisas do papel e transformá-las em produtos e projetos. Vamos usar o conhecimento para gerar empregos, fazer pesquisas aplicadas, não ficar só no papel. Já conseguimos incluir a inovação na Constituição e mudamos todo o marco regulatório de ciência e tecnologia. Hoje, o pesquisador pode sair da universidade, ir para as empresas e participar dos projetos. É dentro das empresas que a inovação acontece”, ressaltou Izalci Lucas.