O senador Izalci Lucas (PSDB/DF) subiu à tribuna, nesta quinta-feira (9), para destacar a aprovação da  Medida Provisória  861/2018 que estabelece a transferência da União para o Distrito Federal das atividades de registro público de empresas mercantis e atividades afins no Distrito Federal . Izalci celebrou a rápida aprovação da matéria sessão plenária da quarta-feira (8) lembrando que a transferência do âmbito da Junta para o DF é uma demanda antiga da sociedade e dos empresários.

“Ontem, por deferência dos senadores e também do presidente Davi, nós tivemos a oportunidade de incluir essa MP na pauta do plenário, porque ela caducaria na terça-feira, e conseguimos a aprovação”, celebrou.

Relator da matéria na Comissão Especial que analisou a MP, o senador explicou que foi preciso fazer várias alterações no texto original para que ele fosse aprovado.

“Houve uma série de equívocos, mas nós conseguimos, junto ao Governo Federal, corrigir a matéria. Por meio de um entendimento com o GDF também, foi possível dar ao texto uma redação que viabilizou a transferência definitiva da União para o Distrito Federal”, informou ao salientar que, com a aprovação, os serviços serão mais rápidos e modernos.

Burocracia 

O senador Izalci ressaltou ainda a burocracia que ainda existe para se abrir e fechar empresas no Brasil e que tem atrapalhado a economia e os empreendedores.

“É tanta burocracia que você tem milhões de empresas no Brasil que já não existem, mas que, no cadastro, continuam existindo, porque são tantas as exigências para você encerrar uma atividade que as pessoas acabam deixando a empresa e apresentam uma declaração sem movimento para não ter multa”, avaliou.

 

Nesse sentido, Izalci mencionou a iniciativa do governo para desburocratizar os sistemas e que, em sua avaliação, vai melhorar muito a economia e incentivar o empreendedorismo.

“Os jovens, hoje, quando querem montar uma empresa, consomem 80% da sua energia com burocracia. E, de fato, perde-se tempo e energia que poderiam ser dirigidos à atividade-fim para cuidar de burocracia”, disse.

 

Foto: William Sant’Ana