Senador Izalci Lucas pede inversão de pauta e projeto que atende o DF é aprovado no Senado.

Por unanimidade, o plenário do Senado aprovou um projeto que vai aproximar o cidadão do Judiciário, sem intermediários ou pagamentos de advogados, para resolver demandas diárias com sociedades de economia mista, tais como CEB, Caesb e BRB, dentre outras.

A aprovação do PL 2097/19, que cria a Vara de Execução de Títulos Extrajudiciais e de Conflitos Arbitrais na Justiça do Distrito Federal, nesta terça-feira (21), só foi possível graças a intermediação do senador Izalci Lucas (PSDB/DF) que solicitou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM/AP), prioridade para votar a matéria.

Ao ser atendido, Izalci afirmou que a medida vai simplificar o sistema e contribuirá para desafogar o Judiciário, pois permitirá que as demandas sejam distribuídas em todas as cidades do DF.

“Essa é uma medida importante para todos nós que moramos na capital e sabemos das dificuldades diárias, cada vez que temos que contestar uma cobrança indevida. Agora, o cidadão poderá resolver seus litígios judiciais perto de casa, sem precisar se deslocar para o centro da cidade e sem ter que contratar advogado para defendê-lo daquilo que lhe foi indevidamente cobrado.  Basta procurar o judiciário cível local”, explicou o senador.

O projeto foi apresentado à Câmara dos Deputados pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) em 2015. O texto elaborado pelo tribunal considerou que as varas de execuções de títulos extrajudiciais estão melhor aparelhadas para atender às demandas que envolvem a aplicação da Lei de Arbitragem que é uma forma alternativa de solucionar conflitos sem a necessidade de recorrer à Justiça.

Após a aprovação do projeto, Izalci destacou ainda que a medida vai diminuir o tempo de análise dos processos, já que as ações poderão ser resolvidas por meio de conciliação.

“Quero parabenizar a senadora Leila Barros pela relatoria desse projeto e pela sensibilidade de perceber a sua importância para àqueles que precisam recorrer à Justiça. Esse projeto vai beneficiar a população do nosso DF”, afirmou Izalci Lucas.