Com Agência Senado

O Dia Nacional do Comissário de Proteção da Criança e do Adolescente, comemorado em 20 de maio, foi celebrado em sessão solene presidida pelo senador Izalci Lucas (SPDB/DF) nesta sexta-feira (24). Participaram da solenidade o Juiz Titular da Vara de Infância e da Juventude, Renato Rodovalho Scussel, a Diretora Administrativa Vara de Infância do DF, Simone Resende, o Assessor Técnico da Vara de Infância, Eustáquio Coutinho e o Presidente da Associação de Agentes de Proteção da Vara da Infância do DF, Augusto Cesar de Souza Sobrinho.

Os participantes ouviram o Hino Nacional executado pela Orquestra do Corpo de Bombeiros do DF e ouviram a contadora de histórias Nyedja Gennari, que apresentou trechos do poema Dar à Luz, de Braulio Bessa.

“Quem gera nem sempre cuida, mas quem ama vai cuidar. Vai cuidar independentemente da cor que a pele tem, da genética, do sangue. O amor vai mais além. O amor tem tanto brilho que quem adota um filho é adotado também”, recitou Nyedja.

Em seu discurso, o senador Izalci Lucas afirmou que os agentes são essenciais para mudar a realidade muitas vezes difícil e chocante, de abusos e violências contra os menores. Segundo o senador, os voluntários selecionados pelas Varas de Infância cumprem determinações judiciais e fiscalizam eventos onde haja crianças e adolescentes, para prevenir ou cessar situações de violações de direitos e riscos em geral.

“São pessoas que lutam no dia a dia diretamente por um mundo melhor. Homens e mulheres de enorme abnegação, num trabalho sem remuneração, baseado na pura solidariedade”, destacou.

O juiz Renato Rodovalho, da Vara da Infância e Juventude do DF, contou que já atuou como agente de proteção e ressaltou a importância da iniciativa de Izalci de regulamentar essa atividade. Segundo explicou, outros setores de proteção como as polícias militar e civil e o Corpo de Bombeiros já têm sua atribuição.

“Mas nas boates, nos eventos, nas ruas, quem cuida de crianças e adolescentes em eventual risco, vulnerabilidade ou irregularidade somos nós, os comissários de proteção. A assessoria do senador já trabalha conosco numa proposta de regulamentação da atividade, e isso é bom. Só no ano passado, 91 adolescentes foram adotados no DF, mas 131 menores ainda aguardam adoção”, informou o juiz ao destacar que os comissários também têm a missão de sensibilizar a sociedade quanto à importância de que esses menores encontrem um lar.

Para a diretora administrativa da Vara da Infância do DF, Simone Resende, o poder público deve adotar políticas mais eficientes voltadas ao incentivo à adoção.

“Se o país agisse dessa forma, a sociedade seria mais justa e exporia menos crianças e adolescentes a situações degradantes”, avaliou.

Eustáquio Coutinho, assessor técnico da Vara da Infância, falou sobre a missão que os comissários têm que é proteger os menores.  Coutinho também falou sobre o projeto “Em busca de um lar” para sensibilizar as famílias que querem adotar e destacou o acompanhamento de gestantes, que por um motivo específico não desejam exercer a maternidade da futura criança, informando-lhes que podem buscar o auxílio da entidade.

Também estiveram presentes à sessão o Delegado da Policia Federal, Juner Caldeira Barros, a Supervisora Substituta do SEAPRO – seção de apuração e proteção, Carmelita Pereira Cardoso e o Vice-presidente da Associação dos Juízes de Paz do DF, Yure Melo.

Foram homenageados os seguintes comissários de Proteção:

Amauri Poggi de Figueiredo, Carmelita Pereira Cardos, Celso da Costa Junior, Cícero Ribeiro da Silva, Fabricio Stefano de Souza Vasconcelos e José de Oliveira Vallú Filho.

Ao final da solenidade, o senador Izalci e o Juiz Renato Rodovalho falaram sobre a importância do trabalho dos comissários de proteção da infância e juventude.

Acompanhe o vídeo:

https://m.youtube.com/watch?v=4uz2Kt2vFrI