No momento em que o Congresso está discutindo mudanças na reforma da previdência, para alterar a idade e o tempo de serviço para a concessão do benefício, o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) deu uma boa notícia para quem começou a trabalhar cedo e não consegue incluir o tempo de trabalho antes dos 16 anos na contagem para a aposentadoria.

“O INSS informou esta semana que vai aceitar esse período de contribuição no cálculo da aposentadoria. Para o trabalhador comum, para que esse tempo seja computado, é preciso comprovar por meio de contracheques, cartões de ponto e, ainda, por meio de uma ação de reconhecimento de vínculo trabalhista”, explicou Izalci.

No caso do trabalhador rural, esse tempo pode ser comprovado com notas fiscais ou uma declaração dos pais. Antes, o INSS exigia, para essa comprovação, uma série de documentos como carteira de trabalho, livro de registro de empregados, folha de ponto ou contrato individual de trabalho.  A simplificação desse processo vai beneficiar milhares de pessoas que estão nessa condição.

Em seguida, ainda dentro das notícias boas, o senador falou da iniciativa de uma médica da rede pública do DF, que virou youtuber para multiplicar o que aprende sobre medicina de família.

“Desde 2012, Luísa Portugal compartilha conteúdo com os colegas que trabalham com medicina comunitária, estudantes de medicina e profissionais que atuam no sistema único de saúde (SUS)”, disse.

O ‘diário de um posto de saúde’ disponibiliza temas médicos de forma leve e acessível, e dicas sobre atendimento e abordagem de pacientes. O canal faz tanto sucesso, que os vídeos foram incluídos no site da secretaria de saúde do DF.

“Atitudes como essa, que ajudam a melhorar a saúde do DF que está tão deficitária, merecem todo o nosso apoio reconhecimento”, finalizou.