O Pisa S é uma avaliação internacional do conhecimento de alunos de 15 anos nas áreas de Ciências, Matemática e Leitura
O bom resultado de quatro escolas públicas brasileiras no exame internacional Pisa-S foi destacado pelo senador Izalci Lucas (PSDB/DF) em discurso, nesta segunda-feira (17). Segundo ressaltou, as instituições de ensino alcançaram notas mais elevadas do que a média de países como Canadá, Finlândia, Japão, Polônia, Portugal, França, Reino Unido, Estados Unidos, Rússia, China e Chile, entre outros. Os exames avaliaram a competência de estudantes de 46 escolas brasileiras, das quais 13 eram particulares e 33 da rede pública. A maioria das instituições públicas participou pela primeira vez de uma avaliação internacional.
“Em São Paulo, foram relacionadas quatro escolas técnicas estaduais (Etecs). As Etecs São Paulo e Guaracy Silveira, ambas na capital, alcançaram notas mais elevadas do que a média de países desenvolvidos em todas as três áreas. A Etec Jardim Ângela, que fica na Zona Sul, em um bairro com o quarto pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da capital paulista, também superou a média em leitura e teve notas superiores à média em ciências de países como Reino Unido, Polônia e França”, comentou.
Outra escola relacionada por Izalci e que obteve destaque no Pisa-S foi a Etec Profa. Marinês Teodoro de Freitas Almeida, em Novo Horizonte, que ficou à frente de Portugal, Reino Unido e China em leitura e na frente de França, Rússia e Polônia em ciências. Ao afirmar que os resultados devem ser comemorados, Izalci salientou que os dados demonstram que essas escolas são ilhas de excelência que se diferenciam da grande maioria das instituições de ensino brasileiras que em que a média é baixa.
“E o que fazem essas escolas para conseguirem se destacar dessa forma? Professores dedicados, ambiente propício e alunos interessados. A transformação acontece gradualmente, durante três anos de ensino médio. Investe-se em capacitação de professores, foca-se na orientação pedagógica. A atualização dos currículos, que se baseia nas características do mercado, e acompanhamento social”, salientou.
O senador avaliou ainda que a educação dessas escolas se aproxima dos anseios dos estudantes e que, ao propiciarem um ambiente aberto à criatividade, permitem ao jovem espaço para sonhar, realizar e desenvolver sua capacidade, para que ele possa realizar um projeto de vida e de carreira.
Ao parabenizar escolas e estudantes, Izalci  concluiu  afirmando que o Pisa é muito importante porque permite produzir indicadores que contribuem para a discussão da qualidade da educação, de modo que possa subsidiar políticas de melhoria no ensino básico.
“É uma avaliação para verificar até que ponto as escolas, de cada país participante, estão preparando os seus jovens para exercer o papel de cidadãos na sociedade contemporânea”.