Os deputados e senadores da frente assumiram o compromisso de avançar com a pauta de interesse das instituições.

O lançamento da Frente Parlamentar Mista de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação do Congresso Nacional realizada na quarta-feira, dia 3, reuniu dezenas de representantes da comunidade científica e do setor de tecnologia do Brasil no Salão Nobre do Senado Federal. Os deputados e senadores da frente assumiram o compromisso de avançar com a pauta de interesse das instituições. O grupo terá o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) como presidente e o deputado Vitor Lippi (PSDB/SP) como vice-presidente.

Izalci Lucas, presidente da Frente Parlamentar, enfatizou que é primordial valorizar a pesquisa no Brasil. Para isso, o senador defende mais investimentos para o setor.

“Não se faz pesquisa sem o pesquisador. Esse problema das bolsas esperamos resolver com o PLN 4/2019 (referindo-se ao crédito suplementar para o governo federal que irá contemplar as bolsas destinadas a pesquisas). Nós temos muitos desafios e a nossa Frente está empenhada em trazer mais recursos para o desenvolvimento tecnológico do Brasil”, destacou.

O presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação – Abipti, Kaká Andrade, que representa mais de 150 entidades do setor, disse que o trabalho do grupo de parlamentares é importante para as instituições. “A gente espera estar sempre próximo da Frente Parlamentar oferecendo sugestões e contribuindo para a melhoria da legislação brasileira. Nós vamos mostrar a importância da ciência, tecnologia, pesquisa e inovação para o desenvolvimento do país”, observou o dirigente da entidade que atua como Secretária Executiva da Frente Parlamentar.

Já o presidente da Sociedade Brasileiro para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira, ressaltou “a necessidade de união e concentração dos esforços da comunidade científica com o parlamento brasileiro”.

Para o presidente do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica – Confies, Fernando Peregrino, a Frente contribuiu para que os fundos patrimoniais fossem mantidos com as respectivas instituições.

“Sem esses fundos patrimoniais não teríamos capacidade para atrair o capital privado para financiar os projetos de pesquisa e inovação nas nossas universidades”, destacou Peregrino.

A Frente Parlamentar irá agora definir um plano de trabalho nos próximos dias e definir os representantes de cada região e estados brasileiros anunciou o senador Izalci Lucas durante seu discurso. Izalci convidou os presentes para a audiência pública na comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, no próximo dia 17, para discutir a questão dos recursos humanos do setor e o financiamento das bolsas.

Acompanhe o trabalho da Frente Parlamentar por meio da página no Facebook @frenteparlamentardaciencia e do perfil no Instagram @frentedaciencia