“Hoje homenageamos os heróis mais reconhecidos em todo o mundo. Os bombeiros militares”, afirmou o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) ao abrir a sessão que marcou o Dia Nacional do Bombeiro, comemorado em 2 de julho.
Os corpos de bombeiros militares existem em todos os estados e no Distrito Federal e trabalham em atividades de defesa civil, prevenção e combate a incêndios, buscas e salvamentos.

Sob a presidência do senador Izalci, fizeram parte da Mesa o Comandante em exercício do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, Coronel Reginaldo Ferreira de Lima, o Coronel Franco, a Tenente-Coronel Mônica de Mesquita Miranda e o Tenente-Coronel Paulo de Lima.

Os participantes assistiram a um vídeo sobre o trabalho dos bombeiros e a contadora de histórias Nyedja Gennari, falou sobre a história da corporação. No Brasil, a primeira corporação de bombeiros foi criada pelo imperador dom Pedro II em 1856. Hoje, a Constituição estabelece que os corpos de bombeiros militares são forças auxiliares e reservas do Exército, subordinadas às unidades da Federação.

A contadora de histórias, Nyedja Gennari

Autor do requerimento para a realização da sessão especial, o senador Izalci destacou em seu discurso, o trabalho abnegado e imprescindível dos bombeiros militares em prol da sociedade.
“Se existe uma profissão cujas aptidões se assemelham às de um herói, essa é do bombeiro militar. Aquele capaz de suportar exemplarmente uma sorte incomum ou arriscar a vida pelo dever em benefício de outrem e, por fim, um indivíduo que desperta enorme admiração. Parabenizo a todos os bombeiros militares pela data e, em nome de cada vida salva, dou-lhes muitíssimo obrigado pela dedicação e pelo desprendimento. O Brasil precisa de vocês! O Brasil inteiro se orgulha do seu trabalho e de sua dedicação! ”, saudou o senador.
Izalci também falou sobre o trabalho dos bombeiros nos resgates após o rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, e ressaltou o trabalho da Comandante Karla Lessa.
“Karla é Major do Corpo de Bombeiros de Minas e está na corporação há 20 anos. Ela é a primeira mulher comandante de helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar do Brasil e realizou um trabalho impressionante no meio de toda aquela lama”.
O senador destacou sobre o trabalho dos bombeiros por todo o país; nas praias, nas cidades, em situação de acidentes.
“No Distrito Federal, principalmente nos períodos de seca, quando incêndios florestais de grandes proporções assolam vastas áreas do Cerrado, os bombeiros militares são acionados para conter o fogo e proteger o meio ambiente”, salientou.
O senador Izalci entregou certificados de homenagem a cinco integrantes do corpo de bombeiros pela excelência do trabalho: capitão Eraldo Leite de Azevedo, primeiro-tenente Antônio Bandeira Viana, segundo-tenente Joaquim Pereira Lisboa Neto, subtenente Luiz Carlos Siqueira de Macedo e primeiro-sargento Ivanderci Soares Pereira.


Fortalecimento e valorização

Senador Reguffe

O senador Reguffe (sem partido-DF) falou que o fortalecimento do corpo de bombeiros militar é o fortalecimento da sociedade e que o Distrito Federal precisa de um corpo de bombeiros militar bem pago, bem remunerado e bem aparelhado.

“Os números mostram o trabalho do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Apenas em 2018, disse o senador, a corporação atendeu 134 mil ocorrências, além de fazer 20 mil atividades preventivas. Para ele, é preciso gastar com o que é prioritário para a população, como é o caso do trabalho dos bombeiros” disse o senador.

Senador Styvenson

Styvenson Valentim (Podemos-RN) afirmou que em cada catástrofe que abala as vidas dos brasileiros, o trabalho dos bombeiros se faz presente. Como exemplo, lembrou o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), em janeiro. Mais de cinco meses depois, os bombeiros continuam as buscas por corpos dos mortos na tragédia.


Dedicação

O deputado distrital Roosevelt Vilela (PSB), que foi bombeiro por 20 anos, disse entender as dificuldades que esses profissionais enfrentam no dia a dia. Segundo o parlamentar, os bombeiros trabalham 48 horas semanais, muitas das quais em período noturno e no final de semana, em ambientes de estresse, o que gera reflexos como o alto índice de suicídios e de alcoolismo nas corporações.

“Nenhuma outra profissão tem no seu lema ou nas suas atribuições o sacrifício da própria vida e esse é o nosso lema”, lembrou.

Deputado distrital Roosevelt Vilela

O Comandante em exercício do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, coronel Reginaldo Ferreira de Lima, homenageou os colegas da corporação, que definiu como uma “corrente do bem”.
“Meu agradecimento aos principais e mais importantes homenageados nesse dia de hoje, que são os bombeiros militares, do coronel ao soldado”, disse.
O comandante destacou o apoio do senador Izalci, com a destinação de recursos do orçamento para a corporação, e agradeceu o empenho do senador em defender as suas demandas.
“Há um ano estive aqui e fiz um pedido ao então Deputado Federal Izalci. Pedi que o respeito e a consideração que os senhores sempre tiveram pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e dos Corpos de Bombeiros de todo o Brasil não fossem apenas protocolares e sim representados por ações. Eu gostaria de dizer a todos os bombeiros militares do Distrito Federal e do Brasil que o nobre Senador honrou com a sua palavra. Muito obrigado, o senhor merece o nosso respeito”, afirmou.
Ao encerrar a sessão, Izalci salientou a recente promulgação da PEC 101, que vai permitir o acúmulo das funções de professor e de profissional de saúde para os servidores das polícias e dos corpos de bombeiros militares dos Estados e do Distrito Federal. O senador informou que a proposição, de autoria do ex-deputado federal Alberto Fraga, começou a tramitar na Câmara dos Deputados em 2003 e, no Senado, teve como relator o senador Antonio Anastasia, do PSDB de Minas Gerais.
Fotos: William Sant’Ana