A Frente Parlamentar Mista de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação realizou a sua primeira reunião, nesta quinta-feira (08), no Senado Federal. No encontro, a queda do Brasil no Índice Global de Inovação (IGI), também chamado de ranking internacional de inovação, foi tema de debate entre os presentes. Representantes e dirigentes de instituições de ensino e de ciência e tecnologia (ICTs), e órgãos federais participaram da reunião.

O vice-presidente da Frente Parlamentar, deputado Vitor Lippi (PSDB/SP), foi quem conduziu os trabalhos da reunião e destacou que o grupo atuará na construção de uma agenda legislativa que valorize a ciência, tecnologia, pesquisa e inovação no Brasil. Lippi disse que o fato do Brasil ocupar o 66º lugar no ranking internacional de inovação fez com que os parlamentares debatessem o tema a fim de saber as causas e o que pode ser feito para que o país volte a ocupar lugar de destaque na classificação.

“Não podemos simplesmente ficar quietos diante dessa piora da evolução do país no que diz respeito a inovação. Nós temos a obrigação de nos movimentar para mudar esse cenário”, enfatizou o parlamentar.

O presidente do Conselho de Administração do grupo Ultrapar e integrante do Conselho do Índice Global de Inovação no Brasil, Pedro Wongtchowski, apresentou os números do ranking e as razões que ocasionaram a queda do país na classificação. Para ele, o Brasil tem capacidade para reverter esse quadro, porém, precisa vencer alguns obstáculos.

“O potencial da inovação permanece em sua grande parte inexplorado. Precisamos melhorar em alguns quesitos como a qualidade do ensino, estimular o empreendedorismo e promover uma maior abertura para a inovação. Temos excelentes produtos no campo do conhecimento e da tecnologia, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido”, frisou Pedro.

Já o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, José Gontijo, disse que o governo federal está trabalhando para que o país tenha políticas públicas que estimulem a inovação.

“Um dos nossos principais desafios é fazer com que o Brasil tenha políticas públicas que contribuam para que a tecnologia e a inovação cheguem até os lares da população. Estamos trabalhando para construir políticas de Estado e não políticas de governo”, explicou Gontijo.

O presidente da Frente Parlamentar, senador Izalci Lucas (PSDB/DF), não pode comparecer devido a um problema de saúde, mas por meio de sua assessoria enviou uma mensagem aos participantes da reunião.

“A inovação é primordial para que sejamos um país competitivo. O trabalho da nossa frente está voltado para impulsionar o desenvolvimento do Brasil e não mediremos esforços para que isso aconteça”, destacou o senador em sua mensagem.

Após as apresentações dos convidados, representantes e dirigentes de entidades do setor se manifestaram e fizeram sugestões de temas para as próximas reuniões da Frente Parlamentar.