Membros de conselhos tutelares, no exercício das funções de fiscalização e proteção da infância e da juventude, poderão ter livre
acesso a eventos públicos e privados. É o que determina um projeto aprovado na Comissão de Educação (CE). A notícia foi destaque no Jornal do Senado.