O senador Izalci Lucas (PSDB/DF) participou, nesta quarta-feira (18/09), na Embaixada de Israel no Brasil, do Fórum Nacional CONSECTI – Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, com o objetivo de promover um intercâmbio entre os estados para difundir a experiência do país israelense na construção de políticas voltadas para a inovação. Ao chegar, o senador foi recepcionado pelo anfitrião, o embaixador Yossi Shelley.

Durante o evento, Izalci lembrou que como presidente da Frente Parlamentar Mista de Ciência e Tecnologia, Pesquisa e Inovação do Congresso Nacional, busca criar uma cultura no orçamento, que garanta recursos para essa área tão importante. “É preciso mostrar o impacto da ciência e tecnologia no desenvolvimento econômico. Precisamos aumentar receitas. Para cada real aplicado em ciência e tecnologia, temos o retorno de R$12,00″, afirmou Izalci. “Nosso orçamento hoje é menor do que 15 anos atrás”, lamentou.

Outro assunto abordado por Izalci, foi o projeto dos CDRs – Centro de Desenvolvimento Regional. “O Brasil é o 13º país em criação de artigo cientifico, mas não transforma esse conhecimento em geração de emprego, patentes, desenvolvimento do país. Estamos mudando esse foco, pretendemos, com os CDRs, usar todo esse conhecimento para desenvolver as regiões onde o centro estiver”, explicou.

O embaixador Yossi Shelley apresentou palestra com o tema: “Como Israel se tornou referência em Inovação”, e reforçou que orçamento conta muito, mas é preciso também engajar pessoas para o desafio. “Sem orçamento nada vai acontecer, tem que investir, mas tem que ter pessoas interessadas”, disse

Embaixador de Israel com Izalci e o secretário, Gilvan

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, Gilvan Máximo, também participou do Fórum, e falou sobre uma carta de cooperação, que o Consecti vai elaborar: “Pretendemos na carta de Brasília, a ser elaborada após o diálogo que construiremos juntos hoje, propor a cooperação internacional para inovação tecnológica e investimentos estrangeiros na indústria nacional e na capacitação de talentos para o Brasil”, revelou.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, disse que o ministério foi reestruturado para se tornar uma ferramenta de desenvolvimento, junto com os outros ministérios, já que, segundo ele, a tecnologia está em todas as áreas. “Para isso, o ministério tinha que ser reestruturado, para que os projetos saiam do papel e cheguem até o final, do incentivo, passando pelas inovações, chegando nas tecnologias aplicadas, no desenvolvimento de novas empresas, produtos e serviços de base tecnológica”, explicou.

Pontes também disse que é preciso popularizar a ciência, mostrando sua importância para o pais inteiro, explicar por que existe e como as pessoas em geral podem ter mais qualidade de vida por meio dela. Para finalizar, ele lembrou que falta recurso, mas estão lutando por isso. “Precisamos melhorar o orçamento para 2220 e estou contando muito com o parlamento para conseguir”, finalizou

Também participaram do evento, o representante da Embaixada dos Estados Unidos, William Popp, o embaixador da Coréia do Sul, Bon-woo Koo, o embaixador do Japão, Akira Yamada, o Vice-presidente do Congresso, deputado Marcos Pereira entre outros secretários.