O senado realizou, nesta segunda-feira (02/12), sessão especial em comemoração ao Dia do Síndico, comemorado em 30 de novembro. O requerimento para a homenagem foi feito pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que destacou a dedicação desses profissionais por garantirem o bem-estar das famílias, das comunidades e solucionarem conflitos, entre outras obrigações.

 

Senador Izalci Lucas

“O trabalho é difícil, é árduo e demanda mais do que administrar, demanda também liderar.  São tarefas que vão desde obras estruturais até a solução de conflitos entre condôminos. É preciso ter, acima de tudo, paciência e sabedoria. E isso, os senhores e senhoras que assumem essa responsabilidade, certamente têm”, afirmou o senador.

Izalci lembrou ainda o recente reconhecimento em lei dos condomínios fechados em Brasília. E disse que também tem trabalhado para criar a categoria dos prefeitos de quadras, com vistas a ajudar na administração da cidade. Para o senador, as autoridades devem buscar soluções junto aos próprios moradores, por serem eles os conhecedores das necessidades da região onde vivem.

A contadora de histórias, Nyedja Gennari, narrou o surgimento dos síndicos. Segundo ela, o problema da propriedade em comum é bastante antigo. Na Roma da Idade Média, já se encontrava uma experiência de construção de casas em comum, semelhante ao condomínio de nossos dias. E ao finalizar sua história, declarou: “Ser síndico, além de tudo já contado aqui para vocês, é ser um pouco de padre, psicólogo e policial, e quando falhar nos três, é ser taxativamente um juiz  de última instância”, afirmou.

Contadora de histórias, Nyedja Gennari

 

Agradecimentos

O presidente da Associação Brasileira de Síndicos Profissionais do Brasil, Paulo Roberto Melo, elogiou a iniciativa de Izalci Lucas e convidou o senador para presidir uma frente parlamentar que será criada em defesa da categoria. Além disso, Paulo defendeu a elaboração de uma lei geral dos condomínios que contemple a regulamentação da profissão, bem como a atualização do Código Civil referente ao assunto.

“É muito importante somarmos forças para esse mercado avançar, melhorar e desenvolver. Precisamos, por exemplo, criar a figura do síndico profissional, para incrementar esse mercado gigantesco, que tem crescido muito a cada dia”, relatou.

Síndico há dez anos, Rodrigo Torres Pontes ressaltou que, além de gestão, esses profissionais buscam a segurança, qualidade de vida e bem-estar de todos os moradores no desempenho da função. Em rápido pronunciamento, ele agradeceu a homenagem, considerando difícil definir a profissão em uma só expressão. No entanto, Rodrigo disse ser possível resumir a atividade com a palavra “servir”.

Atuante na área há cinco anos, Otto Esperidião do Rego Barros destacou a atuação dos síndicos em defesa do patrimônio e dos interesses dos condomínios e de seus moradores. Ao enaltecer a classe, ele frisou que esses trabalhares colocam à disposição da comunidade, além de seu conhecimento administrativo, o tempo longe do convívio familiar, até mesmo durante noites e madrugadas.

“O síndico associa também seu CPF à personalidade jurídica do condomínio, tornando-se responsável legal e criminalmente pelo empreendimento. Não há como não reconhecer o esforço dessas pessoas, que vai além de apenas administrar. O exercício do cargo exige determinação, perseverança e adesão à causa”, disse.

Síndica profissional, Tainá Matos Fernandes disse estar emocionada com a sessão especial, ressaltando que esses trabalhadores existem para fazer a diferença. Já a síndica da Abrasindicos Lucia Helena de Souza destacou dificuldades enfrentadas pelos síndicos no desempenho da atividade, mas disse que a tarefa é gratificante. Ela agradeceu a homenagem, afirmando que a iniciativa do Senado fortalece a categoria.

 

Fotos: William Sant’Anna

IMG_7283

 

*Com informações da Agência Senado.