O Dia do Engenheiro, celebrado em 11 de dezembro, e o 86º aniversário do Sistema Confea/Crea foram comemorados em sessão especial do Senado, nesta sexta-feira (13/12). Presidindo a sessão, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) elogiou a categoria, observando que a engenharia é uma ciência exata que dá às pessoas a condição de continuarem vivas e saudáveis. Ao comentar a importância da atividade na formação do Brasil, Izalci também destacou a participação desses profissionais no processo legislativo.

“Eles são os que têm uma formação mais completa. Sabem dos cálculos, dos pesos e, junto com os arquitetos, fazem uma cidade completa. Foi assim que fizeram Brasília, uma das mais modernas do mundo. A engenharia e a arquitetura modernas têm em Brasília sua maior obra. Quero cumprimentá-los pela presença e pelas discussões em prol de um país mais desenvolvido, mais igual e sobretudo mais justo. Está nas mãos e na inteligência de vocês o país que sonhamos”, disse.

O sistema que reúne o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e os conselhos regionais de engenharia e agronomia (Crea) foi criado em 11 de dezembro de 1933 pelo Decreto-Lei 23.569, que marcou a regulamentação da engenharia no Brasil.

Representando todos os conselhos regionais do país, o presidente do Crea da Paraíba, Antonio Carlos de Aragão, destacou que a engenharia é formada por muitos setores. Ele pontuou que a atividade representa as grandes transformações da humanidade. E disse que, justamente por ser parte de tudo o que cerca as pessoas, a atividade é responsável por também garantir a segurança da população. Para Aragão, foi a falta de engenheiros que ocasionou grandes tragédias do país, a exemplo do rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, em janeiro.

“Essas tragédias decorrem da falta da engenharia, de um ou mais profissionais éticos e tecnicamente qualificados. Mas é importante também dizer que outras tragédias acontecem todos os dias por esse mesmo motivo. Quando uma pessoa com deficiência não consegue adentrar em um prédio, pela falta de um projeto de acessibilidade, também é uma tragédia — comentou”.

Registro profissional

O presidente do Confea, Joel Krüger, também ressaltou a importância de todas as modalidades do sistema, a exemplo da agronomia, da geologia e da meteorologia. Ele pediu o aprimoramento das leis do setor e solicitou ao Congresso que rejeite a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 108/2019, por acreditar que a medida desorganiza o setor. A matéria em análise na Câmara prevê o fim da obrigatoriedade de registro dos profissionais e a transformação dos conselhos de classe em entidades privadas.

Ao agradecer a homenagem, Krüger observou que, assim como o Senado, o Confea também atua em defesa da sociedade.

 “Agradecemos por todo esse reconhecimento. Esse espaço tem um significado especial para nós, que somamos um contingente de mais de 1 milhão de profissionais registrados e 255 mil empresas de engenharia, de agronomia e de geociências. Esse espaço traduz a relação respeitosa e de reconhecimento do Poder Legislativo pela atuação de uma autarquia pública federal que defende e fiscaliza a presença de profissionais habilitados em obras e empreendimentos, sempre em defesa da sociedade brasileira, declarou”.

Fonte: Agência Senado

Foto: William Sant’Ana.